Exposições

Exposições

#

3 artistas, 3 dimensões

Casa de Cultural Laura Alvim , 1986

Artigo Globo Arte pela Casa da Laura
 
O propósito parece ter tido sucesso, já que a exposição consegue atomizar-se por todos os cantos com aproveitamento de cada espaço disponível. A”linha-sonda” que Marcelo Lago projetou para interferência na fachada resume, por si mesma, e com total domínio da arquitetura, o espírito da mostra. Projetada rigorosamente para acompanhar cada acidente, cada movimento e cada obstáculo da fachada, esta “linha-sonda” sugere, no entanto, um traço único gestual e espontâneo, como se tivesse sido desenhado ali, no local, tentando integrar os três andares do edifício. É uma linha que costura a arquitetura e tenta sondar ou explorar cada recurso do espaço. 
#

Módulos

1993, Museu da Republica

Em uma sala do Museu da República, seis grandes carretéis de madeira repousam na penumbra. Alguns parecem penetrar no assoalho, como se enterrados, sugerindo um movimento circular que, embora não se complete totalmente diante dos olhos, simula uma reprodução ao infinito

 

#

Arqueologia

1994, Paço Imperial, Rio de Janeiro Exposição no Paço Imperial onde Marcelo Lago mostra pela primeira vez seus ‘’Painéis arqueológicos’’, figuras geométricas, na maioria círculos esculpidas em blocos de cimentos aerados, criando ritmos e sequências que poderíamos,  metaforicamente, comparar a uma escrita musical, um tipo de partitura.
#

Do Macro ao Micro

1995, IBEU, Rio de Janeiro Mostra simultânea em duas galerias do IBEU em Copacabana e Madureira. Como mostra o título da exposição, o artista faz uso de forma poética de conceitos normalmente usados na biologia ou na física, onde a estrutura interna dos objetos é apresentada, como se quisesse nos revelar todo o seu processo.
#

Penetrações e Intervenções

1996, Galeria Candido Mendes, Rio de Janeiro As duas instalações se fundamentam em conceitos matemáticos de planos infinitos , que são usados pelo artista como referências poéticas para criar objetos que “penetram’’ nos planos, chão e parede. O efeito é produzido pelas diversas dimensões das peças.
#

Onomatopeia Germânica

1999, Casa de Cultura de Petrópolis, RJ Nessa exposição, no porão sem janelas de um velho casarão do século XIX, Marcelo Lago cria uma instalação participativa, que explora e questiona os limites da linguagem, usando como ponto focal a língua alemã.
#

Memórias, sonhos e reflexões

2005, Paço Imperial Essa segunda exposição de Lago no Paço Imperial apresenta um trabalho sui generis dentro da sua produção, usando pela primeira vez a técnica de assemblage. Como a tentativa de Breton em sua escrita automática, ele escolhe aleatoriamente vários objetos que unidos dão forma a três instalações…

Confluências

2010, Centro cultural Helio Oiticica A exposição Confluências no Centro Municipal de Artes Hélio Oiticica, no Rio de Janeiro, teve a participação do escultor Marcelo Lago e seus alunos e filhos Aldo Falconi, Denise Meyer, Fernanda Lago e Pedro Lago, todos de Petrópolis, junto com Chico Fortunato e Pedro Paulo Domingues.

Apresentação Marcelo Lago

2016, Escritório de Arte Carlos Samiguel, RJ Apresentação de trabalhos inéditos de diversos épocas do escultor Marcelo Lago.